Ela chamava ele de idiota. Negava de todas as maneiras que não gostava dele, que o único sentimento que tinha por ele era raiva. Sim, ela estava com muita raiva dele, porque ainda não tinha esquecido das burradas que ele sempre fazia, e que acabava magoando aquela garota. Ela odiava quando as pessoas falavam que os dois faziam um lindo casal. Que ficavam lindo juntos. E odiava mais ainda quando falavam que estava na cara que ela o amava. Ela passava o dia todo tentando não pensar naquele tremendo idiota que fazia ela chorar todas as noites com aquelas atitudes infantis; e são essas atitudes que magoava ela. Mas ele não se tocava e continuava fazendo. Ela se negava em pensar nele toda vez que assistia filmes de romance; até porque ela evitava assistir esses filmes. Preferia um filme de terror, ou um daqueles filmes que a mocinha ou o mocinho morre no final. Ela tentava fugir de todas as maneiras possíveis daquele sentimento que ás vezes a sufocava, que a cegava; que não deixava ela ver mais ninguém ao seu redor, a não ser aquele idiota. Ela tentava evitar que os seus pensamentos forem direcionados a ele. Porque era isso que ela fazia todos os dias ao lembrar do quanto ele era perfeito, e feito pra ela. Mas que droga, não era isso o que ela queria pensar. Só queria tentar se livrar disso tudo, desse sentimento devastador, que insistia em ficar no seu coração fazendo ela amar aquele idiota a cada dia mais. E querer estar com ele o tempo todo, falar com ele o dia todo. Era um sentimento que só crescia, mais e mais. Pensava em um jeito, em alguma forma, sei lá; tentava não pensar nele. E tudo era em vão. Ela continuava pensando em como era bom ver ele sorrindo. Pensava tanto, nos planos que vinha na sua cabeça, de compartilhar uma vida ao lado daquele idiota. E era o único idiota que ela amava. Ela sabia que nele tinha algo que a prendia de uma forma inexplicável; não sabia o que era, nem o que ele tinha que ela amava tanto, mas simplesmente amava. Não dava pra fugir daquilo que ela estava sentindo. No dia anterior, ela mandou ele ir embora da sua vida, mas querendo que ele ficasse. Talvez ele nem tenha percebido isso e tenha ido embora. É por isso que ela chama ele de idiota. Ela sabia que ele não prestava, que poderia ser a pessoa errada na sua vida. E mesmo assim, era ele que ela amava Era pra ele que ela dava mais uma chance para o amor dos dois, era nos braços dele que ela ia se confortar, e era ele o idiota que ela amava.

Nenhum comentário:

Postar um comentário